sábado, 2 de janeiro de 2010

...

Quem sou eu? Quem seria eu se não fosse eu? Seria a alegria, a tristeza, amor, ou quiçá um pouco mais de vida. Textos e pessoas se confundem para cada vez mais minha vida ter um sentido, ter pensamentos e idéias, e quem sabe, amores pelos quais se valham a pena lutar. O cheiro que sinto e as coisas que vejo se misturam para um misto de sensações que cada vez mais impregnam minha vida, junto também com coisas chatas e tediosas, que me trazem um desejo de viver em um sono sem sonhos.
Cada vez mais coisas que desejo fogem de mim, será talvez por causa da minha infelicidade, da minha vontade de não estar aqui, do meu medo corajoso. Cada vez mais o refúgio que criei vai me sufocando, isso acontece aos poucos e de modo agoniante, e sinto cada segundo desse sufocamento! Algumas pessoas tentam me salvar mas não consigo alcançar suas mãos. Nem são tantas pessoas assim, acho que apenas uma, mas meus braços são curtos. Meu medo é enorme. Minha vida cada vez mais me pede uma salvação, grito alto, mas parece que faço isso no local errado. No lugar onde grito, os seres são surdos, clamores agonizantes já acabaram com sua percepção de ouvir. Espero um dia acabar com essa fortaleza medrosa-corajosa que eu mesmo criei!

7 comentários:

Duh Franzen disse...

Belo texto...Confesso que fiquei arrepiada...ja escrevi textos assim...depressivos de pedidos de socorro...descobri vivenciando que a força esta em mim e não nos outros.

FLORES, Ju disse...

Bom texto Bru,
E quem disse que não tem literatura nas aulas de Fonética? UHAIHAU
Continue escrevendo bem assim! :D

railer disse...

são fases...

Gabriel T. disse...

Uma achado na comunidade da roxa(Pitty), por acaso entrei e me surpreendi. Belo texto, sincero, vivo, com toda inquietude e fluxo de sentimentos.Muitas vezes, sinto exatamente o que descreves.


Tenho um blog de poesias pessoais, se se interessar:
www.buracosebecos.blogspot.com

Seguindo-te.

Carla Ruthes disse...

Clariciano!
Esses meus amigos, pensam demais. O mau do mundo, e o bom também.

franciny disse...

ola bruno: muito profundo todas suas palavras...uma coisa aprendi...
As vezes vimos nossa vida passar num piscar de olhar, ficamos sentados olhando o palco da vida e nao conseguimos subir no palco e tomar lugar que é nosso. somo marionetes?Meus braços sao curtos mais tem o cumprimento certo pra te levantar..e teu grito é tao alto que consigo me arrepiar...
um abraço...franciny Evaristo...

мαησeℓα disse...

Acho que nunca lhe contei pela minha adimiraçao, e quedinha... por textos mais sombrios..
é algumas coisas eu so guardo a mim mesma...
bonito, lindo é hipocrisia falar,
mas digo intenso, confuso, sufocante, marcante... admiravel... despertador..
isso posso dizer q seu texto é!


[/Bjoss, desculpe pelo atrasoo. ^^'